Sunday, December 12, 2010

A ovelha negra II


Lembro-me das invernosas idas à Pastelaria Versalhes, para lanchar com a minha mãe, carregando uma sensação de adolescente deslocada e argumentando que aquele lugar tinha parado no tempo: senhoras aperaltadas com penteados insuflados, conservadas em pó de arroz e trajando casacos astrakan dignos do seu estatuto social.

É verdade, que a minha juvenil convivência com os casacos astrakan não foi empolgante, contribuindo, desde cedo, para considerá-los uma marca do conservadorismo.

Os casacos de astrakan são feitos de pele de karakulu, uma espécie de ovelha doméstica, com a repugnante particularidade da pele dos recém-nascidos ser considerada a ideal para a confecção desse vestuário. Assim, os cordeiros acabados de nascer são sacrificados a uma longevidade própria da raça animal, para alimentar o deplorável negócio destas peles.

Na Namíbia, a criação de Karakulus está ligada a economia daquela região, desde a presença colonizadora alemã.

Este território no Sudoeste africano, tornou-se um protectorado alemão durante o final do século XIX. A chegada dos colonos alemães impregnou aquele território de sofrimento, terror e morte.

Os colonos brancos encetaram uma dizimação das tribos Herero e Nama - nativos que se dedicavam essencialmente ao pastoreio - apropriando-se violentamente das suas terras e gado.

A luta dos nativos contra o desumano domínio alemão culminou numa derrota mortífera das tribos, onde os poucos sobreviventes foram escorraçados para o deserto de Omaheke, deixando-os morrer a fome e a sede. Este foi considerado o primeiro genocídio do século XX.

Com a limpeza étnica daquelas paragens no sudoeste africano, os colonos alemães intensificaram a criação de Karakulus, bem como desenvolveram o mercado das peles, aliás, ainda, hoje, uma das principais actividades da Namíbia.

É este lado muito negro que importa não esquecer – a ovelha negra da história!


2 Comments:

At 11:25 PM , Anonymous Anonymous said...

Tadinhas das ovelhinhas :(

 
At 1:47 PM , Anonymous Anonymous said...

Ovelha negra sofre...

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home