Wednesday, April 20, 2005

O tempo nos parques (2)


Jardim das Amoreiras, em Lisboa


Jardim verde e em flor, jardim de buxo
Onde o poente interminável arde
Enquanto bailam lentas as horas da tarde.
Os narcisos ondulam e o repuxo,
Voz onde o silêncio se embala,
Canta, murmura e fala
Dos paraísos desejados,
Cuja lembrança enche de bailados
A clara solidão das tuas ruas.


SOPHIA de MELLO BREYNER ANDRESEN- DIA DO MAR .

4 Comments:

At 2:05 PM , Blogger Francisco said...

Já estiveste no banco ao pé do Museu? certo?

 
At 8:09 PM , Blogger Ana Russo said...

Bonito, o poema da Sophia de Mello Breyner :)

 
At 5:43 PM , Blogger ognid said...

bonito conjunto foto/poema :)

 
At 3:07 AM , Blogger pandora said...

hum, gosto tanto da sophia, e com a foto faz uma bela parceria!

andei uma semanita fora disto, o pc no estaleiro! agora ja ta td e cá estou a deixar-te um comentariozito :)
bj.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home