Tuesday, June 08, 2004

Abençoados jacarandás

Primeiro domingo do mês de Junho. A cidade é absolvida das “horas de ponta” e engalanada de sol. A temperatura amena reivindica um passeio a pé, os oposicionistas podem sempre optar pelo trajecto a “quatro ou duas rodas”.
Volto a iniciar o meu giro por Lisboa. O ponto de partida é o Largo do Rato. Entro na Rua Alexandre Herculano no sentido da Avenida da Liberdade até encontrar, ao lado direito, a Rua Rodrigo da Fonseca. O desvio é prenunciado pela placa toponímica. Nesse troço de rua viro e posiciono-me de frente. Fico quieta. Há jacarandás de ambos os lados debruçados majestosamente sobre o enfiamento da rua. Contemplo a floração imaculada daquelas árvores. Tanta beleza embriaga-me. Imagino uma pintura bucólica mas é tão só uma parte viva desta cidade. Fecho os olhos e volto a abri-los. Abençoados jacarandás que nos fazem sonhar nesta época do ano em Lisboa.
A esta nova “receita” pode juntar-se q.b. de muita coisa...
Fica um sabor :

AS ESTAÇÕES

PRIMAVERA


Vai Clóris pelo prado às flores inata,
Branca na brisa, veemente nas verduras,
Mostrando as cores que, no ovo de prata,
Da primeira manhã se uniram puras.

A luz a leva. De Abril festas flamíneas
Espalha seu curso de floridas pernas;
De andorinhas, cerejas e glicínias
Vai remoçando satisfações eternas.

Tempo de amor que ao chão arranca a rosa
E aves nos ramos musical desperta,
Ovário onde a semente jubilosa
Do incorruptível infunde a Primavera.


(Natália Correia)








3 Comments:

At 12:49 PM , Blogger cv said...

Vale mais tarde do que nunca... E este texto é francamente bonito para fazer o meu primeiro comentário! O poema que o precede e a senhora que o escreveu merecem essa e muitas outras homenagens! Para que nunca te falte a inspiração, junto te envio as minhas preces de bom trabalho!

 
At 9:57 PM , Blogger branca said...

Também eu fico embriagada cada vez que passo naquela rua e o coração e a cabeça ficam repletos daquela cor e daquele manto de pequenas pétalas. Não digo em todas as ruas mas Lisboa merecia ter mais jacarandás e árvores de todas as cores e cheiros. Faz-nos tão bem estes pequenos espaços e estes surpreendentes apontamentos. Já repararam no jardim em frente à Casa da Moeda? É um pequeno oásis. Experimentem parar um pouco e sentarem-se num daqueles bancos.

 
At 10:50 AM , Blogger Nuno said...

Tive de fazer o percurso descrito para perceber do que se estavas a falar. Realmente os jacarandás são muito belos! Não menos belo é o texto deste blog. Fiquei tão contente por saber que ainda existe alguém que escreve com a alma...

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home