Thursday, January 19, 2006

Ode ao amor...

Foto retirada daqui

"Eu quero fazer um elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje, incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia (...). Já ninguém aceita a paixão pura, as saudades sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo? O amor é uma coisa, a vida é outra.A vida às vezes mata o amor. A “vidinha” é uma convivência assassina. O amor não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não é para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do quem não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária "(...) in O Amor é Fodido, MEC (1).

(1) roubado o texto daqui

1 Comments:

At 2:49 AM , Blogger bode said...

Lindo!!!!
Carlos (Brasil)

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home