Wednesday, March 02, 2005

Vila Berta


Vila Berta, no Bairro da Graça, em Lisboa- Fevereiro 2005


E, contudo, é bonito
O entardecer.
A luz poente cai do céu vazio
Sobre o tecto macio
Da ramagem
E fica derramada em cada folha.
Imóvel, a paisagem
Parece adormecida
Nos olhos de quem olha.
A brisa leva o tempo
Sem destino.
E o rumor citadino
Ondula nos ouvidos
Distraídos
Dos que vão pelas ruas caminhando
Devagar
E como que sonhando,
Sem sonhar...


MIGUEL TORGA- VESPERAL.

5 Comments:

At 10:45 PM , Blogger toix said...

Bem vinda ao mundo dos vivos!

 
At 11:08 PM , Blogger MJM said...

Kiss! Kiss! Kiss!
Foi uma bela surpresa, sim senhora!
Tanto tempo ausente e regressares assim!... Senti-me privilegiada, ora pois claro!
Thks pela lembrança. Acho essa Villa deliciosa, mesmo.
O poema q escolheste vai muito bem com essa imagem.
Vê se não te ausentas tanto...
Big hug

 
At 1:21 AM , Blogger clark59 said...

Um beijo pela foto...mesmo se nunca achei piada nenhuma ao meu médico de infãncia, um senhor que escrevia poemas telúricos

 
At 10:15 AM , Blogger Lolita said...

Bem vinda! Todos os dias vinha aqui e tu continuavas a REFLECTIR!!!!

 
At 8:12 PM , Blogger Francisco said...

Conheces o Bairro Estrela de ouro do Agapito...qualquer coisa? é bem perto da vila Berta. E não percas a casa da Angelina Vidal.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home